Ir para o conteúdo
Buscar
NAVEGUE EM NOSSO SITE
Encontre o que deseja
Você está no perfil:

Mudar Perfil

Agência de Notícias

Buscar
BUSCA DE NOTÍCIAS
CGJ incentiva unidades a desafiar produtividade na reta final do prazo da Meta 2
25 de novembro de 2022 às 14:00
CGJ incentiva unidades a desafiar produtividade na reta final do prazo da Meta 2

A Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) reafirma seu comprometimento em orientar e auxiliar as unidades do 1º Grau, a fim de proporcionar a melhoria dos fluxos de trabalho e incrementar o percentual de cumprimento da Meta 2 no âmbito do Poder Judiciário do Estado da Bahia (PJBA). 

Restam 36 dias para o fim do prazo estipulado para o cumprimento da referida meta, proposta pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), cujo objetivo é identificar e julgar, até 31/12/2022, pelo menos, 80% dos processos distribuídos até 31/12/2018 no 1º grau, 80% dos processos distribuídos até 31/12/2019 no 2º grau e 90% dos processos distribuídos até 31/12/2019 nos Juizados Especiais e Turmas Recursais. 

“Cumprir metas não é algo fácil, mas é algo possível, mesmo diante de limitações estruturais ou de pessoal”, afirma a Juíza da CGJ Márcia Gottschald em entrevista concedida à Rádio Web PJBA, disponível no aplicativo Soundcloud. “Enquanto representante da CGJ, quero agradecer o empenho que estamos visualizando, tanto de magistrados quanto de servidores”. 

A Magistrada explica que cumprir a meta proposta pelo CNJ promove diversos benefícios para quem busca o serviço jurisdicional e para o próprio Tribunal. A higienização da base de dados processuais, por exemplo, não somente contribui para o incremento de produtividade, mas também permite ao Tribunal conhecer melhor as demandas que transitam por suas unidades.  

O PJBA oferece, em seu portal, dois guias digitais com orientações práticas sobre o tema da higienização: Incremento de performance da Meta 2” para servidores e magistrados; e “Como cadastrar o processo no Sistema PJe” para advogados, promotores, procuradores, defensores e agentes de segurança pública. 

Segundo a Juíza Márcia Gottschald, a fidelidade da base de dados é extremamente útil, quando se pensa em traçar estratégias institucionais para o enfrentamento de questões e desafios coletivos. 

“Se temos uma base de dados pura, que espelha a realidade, podemos verificar, por exemplo, o percentual de processos que se encontram em fase de cumprimento de sentença no estado e, à vista disso, criar uma estratégia estadual, para que essa fase se opere de forma mais ágil”, afirma a Magistrada. 

Uma base de dados impura produz gargalos, dificulta traçar planos de ação e aumenta o tempo de tramitação dos feitos. Por isso, cadastrar as petições corretamente no sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe) e realizar, quando necessário, a higienização processual, são atividades essenciais para melhorar a prestação jurisdicional. 

Descrição da imagem: card em tons de verde e cinza com o número 2 de plano de fundo. Traz a mensagem “Julgar para Avançar – colabore com o aumento de produtividade do PJBA” e as marcas do PJBA e da Meta 2 [fim da descrição]. 

#pracegover #pratodosverem  

Texto publicado: Ascom PJBA